Blog da Dusol

24
abr

Calma, este post não é uma pressão para você adotar energia solar: é apenas uma reflexão sobre o tema, te convidando a rever alguns conceitos e a pensar em um futuro próximo, levando em consideração o atual sistema elétrico e seus percalços.

Então, reserve alguns minutinhos para saber o que pode acontecer com pessoas físicas e jurídicas caso elas não pensem em adotar energia solar – isto é, uma energia limpa, renovável e sustentável.

1. Você pagará cada vez mais caro em sua conta de luz

Já explicamos neste post aqui sobre o que está por trás do aumento das tarifas de energia, mas não custa relembrar.

Aliás, vamos aos dados recentes: de acordo com matéria publicada no portal G1, em 2019 a Aneel informou que os consumidores pagarão R$ 17 bilhões na conta de luz para cobrir subsídios referentes a descontos com quem faz irrigação, a conta de energia de família de baixa renda, a compra de parte do combustível das usinas termelétricas que geram energia para o Norte do país e por programas sociais, como o Luz Para Todos.

Mesmo que esse impacto em cada conta não seja tão grande (em média, o aumento será de 1,45%), some isso aos demais reajustes anuais e às bandeiras tarifárias, que são acionadas durante todo o ano, aumentando ainda mais o valor das tarifas.

Portanto, não adotar energia solar nos próximos anos te fará refém desses aumentos e reajustes. Afinal, com o sistema fotovoltaico, você pode economizar até 95% no valor da conta, e o que for gerado de excedente será convertido em créditos para serem utilizados em até 60 meses. Vale a pena o investimento.

2. Ao não adotar energia solar, você continuará dependente das bandeiras tarifárias (e de seus reajustes)

As bandeiras tarifárias já são conhecidas por todos desde 2015, quando entraram em vigor. A mensagem é clara: se a demanda por eletricidade aumenta, pagamos (ainda) mais caro.

A revisão do valor das bandeiras tarifárias é feita pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) e a última está em vigor desde novembro de 2017.

Mas, no ano de 2019, a agência já está estudando um novo reajuste para cada 100 kWh consumidos:

Cor da bandeira

Valor da Tarifa atual

Valor do reajuste previsto (2019)

Amarela

R$ 1,00

R$ 1,50

Vermelha (patamar 1)

R$ 3,00

R$ 3,50

Vermelha (patamar 2)

R$ 5,00

R$ 6,00

Segundo a agência, esse reajuste será para adequar o valor do custo extra cobrado aos consumidores nos períodos em que o custo de produção de energia ficar mais cara, como nos períodos de seca, por exemplo, no qual o volume das hidrelétricas diminui e as termelétricas (que são mais caras) são acionadas.

Portanto, não adotar energia solar nos próximos anos pode significar intermináveis reajustes das bandeiras para o seu bolso, o que está diretamente relacionado ao aumento na conta de energia como um todo. Até quando ficaremos reféns?

3. Se você não adotar energia solar, poderá ter que reduzir o seu conforto para não pesar no orçamento

Por fim, não adotar energia solar pode significar a curto, médio e longo prazo, a redução do seu próprio conforto.

O que isso quer dizer? Simples: cada vez mais dependemos de aparelhos elétricos para nos adequar à vida moderna. Ar condicionado, chuveiro elétrico, computadores, smartphones, lavadora de roupas, televisores, geladeira… Tudo depende de energia.

E provavelmente você já sentiu na pele, ou conhece alguém que já sentiu, todo o desconforto gerado ao ter que desligar o ar condicionado em pleno verão para que a conta de energia não extrapole o orçamento, certo?

É claro que a energia solar não pode servir de desculpa para termos uma vida desregrada, sem prezar pela economia energética. Mas, atualmente, está cada vez mais comum termos que sacrificar coisas mínimas em prol da economia nos bolsos. Ou você acha que um ar condicionado no Norte do país é supérfluo e um aquecedor elétrico no inverno do Sul também?

Ao optarmos pela energia solar, podemos manter o mínimo de conforto para nossas famílias, funcionários e clientes, sem que isso signifique a sobrecarga da eletricidade convencional e o prejuízo no orçamento financeiro. O seu bolso agradece, bem como a própria matriz elétrica do país, e, claro, o meio ambiente.

E então, convencido de adotar energia solar? Comece por este guia específico para energia solar residencial. Nele respondemos às principais dúvidas sobre esse planejamento. Até a próxima!

Comentários