4 hábitos ultrapassados que devem ficar para trás

Certos hábitos ultrapassados parecem inofensivos, mas prejudicam a nossa vida e o meio ambiente como um todo.

O assunto de hoje pode (e deve) nos tirar da zona de conforto e nos fazer repensar a nossa vida. Sim, existem hábitos ultrapassados que a gente nem se dá conta que faz – ou, ainda, até se dá conta, mas é tão difícil mudar, não é mesmo?

Aliás, você sabe o que é um hábito? O próprio dicionário é bem direto: quando não se refere a uma determinada roupa, significa ação ou comportamento que se repete com frequência e regularidade. Repetimos até se tornar automático.

Hoje vamos falar especificamente de hábitos ultrapassados, que dizem respeito à sustentabilidade e que já estão sendo pressionados para cair em desuso. Descubra, a seguir, quais são eles.

1. Uso de materiais plásticos

Utilizar várias e várias sacolas plásticas depois de ir ao mercado ou à padaria é um exemplo clássico, e copos de plástico no ambiente de trabalho também.

Além disso, um dos hábitos ultrapassados que está, aos poucos, deixando de existir é o consumo de canudos de plástico, que representam 4% do lixo plástico mundial e estão sendo abolidos em alguns estabelecimentos comerciais.

E outro fato triste: você sabia que se estima que 90% das espécies marinhas do planeta já tenham ingerido algum tipo de plástico?

Novo hábito: leve sempre dentro da sua bolsa e do seu carro ecobags para as suas compras. No trabalho, leve sua caneca e não use copo plástico. Compre mais produtos a granel para poder levar os seus potes de vidro direto ao mercado.

Além disso, se tiver o hábito de beber com canudo, vale a pena comprar um modelo reutilizável, que pode ser de vidro ou de metal, por exemplo, e carregar consigo. E se alguém te oferecer um de plástico, dispense educadamente, dizendo os motivos e incentivando outras pessoas a mudarem esses hábitos ultrapassados.

2. Uso de carros movidos a combustíveis fósseis

Sim, os carros movidos a combustíveis fósseis – e poluentes – podem estar com os dias contados. E ainda bem, ainda mais para quem paga gasolina no Brasil, não é mesmo?

Já até falamos sobre isso neste post, mas vale lembrar que o governo brasileiro está estudando a regulamentação dos carros elétricos e algumas concessionárias já estão se preparando para essa mudança.

Além disso, existem projeções de que, até 2022, a maioria dos carros na Europa já sejam elétricos.

Novo hábito: mesmo que você ainda não tenha um carro elétrico, já dá para mudar alguns hábitos ultrapassados em relação à sua mobilidade. Confira dicas para economizar combustível:

  • Mantenha em dia a manutenção do carro, a pressão dos pneus, alinhamento e balanceamento.
  • Respeite a troca de marchas (sempre na rotação certa) e tente manter uma velocidade constante.
  • Se puder, substitua o seu veículo movido a combustível pela bicicleta para se locomover. Também utilize mais o transporte coletivo.

3. Geração de energia elétrica a partir de combustíveis fósseis

Esse é um dos hábitos ultrapassados que mais precisam ser mudados em todo o planeta.

Eletricidade gerada a partir de combustíveis fósseis (petróleo, carvão mineral e gás natural) ainda é muito utilizada no Brasil, juntamente com a proveniente das hidrelétricas – o que encarece ainda mais a nossa conta quando as termelétricas são acionadas em épocas de estiagem (sim, estamos falando das bandeiras tarifárias).

Na prática, esses combustíveis não são renováveis e estão baseados na extração e na queima de recursos naturais – e isso precisa mudar.

Novo hábito: sem dúvidas, substituir a energia elétrica convencional pela solar é algo já acessível aqui no Brasil – energia limpa, renovável e simples de usar.

Existem várias linhas de financiamento a juros bem atraentes (como mostra o Programa Goiás Solar), e você pode instalar o sistema fotovoltaico em sua casa, produção rural ou até de forma coletiva no seu condomínio e empresa – leia esse post para entender melhor. Que tal economizar até 95% em sua conta de energia?

4. Viver em grandes imóveis e acumulando coisas é um dos hábitos ultrapassados que perde para a economia colaborativa

Aproveitando a tendência de mudança nas configurações familiares, hábitos da sociedade e das novas gerações, viver em imóveis gigantes, consumindo e acumulando muitos objetos, é um dos hábitos ultrapassados que estão ficando para trás.

A ideia, agora, é viver de modo mais simplificado e focar na vivência de experiências, ao invés do consumo além da conta – e isso é ótimo para a sustentabilidade do planeta.

Novo hábito: economia colaborativa, essa é a palavra-chave.

Trocar, compartilhar, alugar objetos excedentes ou serviços é a tendência, que também inclui o conceito de co-living – várias pessoas morando no mesmo espaço e compartilhando áreas comuns (geralmente bem localizados e com alugueis, que, sozinho, seria difícil pagar) -, e coworking, quando um imóvel é compartilhado como espaço de trabalho para várias empresas ou freelancers.

E então, o que você acha desses hábitos ultrapassados? Já conseguiu eliminar alguns? Deixe o seu comentário e aproveite para conhecer 5 equipamentos movidos a energia solar que você não sabia. Até a próxima!

Carlos Bouhid
Diretor Administrativo da Dusol Engenharia Sustentável.

Compartilhe:

Posts Relacionados

Voltar ao topo