Blog da Dusol

13
dez

Hoje vamos esclarecer uma dúvida enviada por muitos leitores do blog: o que são e como funcionam os condomínios solares?

Sabemos que a energia solar vem crescendo Brasil afora. De acordo com dados de 2018 da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), já são mais de 83 mil telhados gerando energia limpa e sustentável. Mas:

  • E se em seu imóvel não for possível (ou você não quer) instalar os painéis?
  • E se você quiser se unir a outras pessoas para que, juntos, possam compartilhar os custos da energia solar?
  • E se você quiser fazer da energia solar um empreendimento lucrativo para fornecer energia a outras pessoas

As respostas são as mesmas: os condomínios solares.

O que são condomínios solares?

Condomínios solares são instalações de energia fotovoltaica, criados a partir do investimento de várias pessoas, e legalizados por meio da Resolução Normativa 687/2015 da ANEEL. Eles têm o objetivo de fornecer créditos de energia solar para os consumidores de energia.

Ou seja, o condomínio solar é um modelo de negócio, já que você pode ser tanto o empresário quanto o cliente. Vejamos:

Empresário de condomínios solares

Como empresário, você pode se unir a outros investidores por meio de consórcio ou cooperativa para investir na construção de condomínios solares. Nesse caso, os créditos gerados podem ser destinados a todos os investidores do parque solar, ou, ainda, ser alugados a outros interessados – o ROI (Retorno Sobre o Investimento) pode chegar a 20% ao ano.

Clientes de condomínios solares

Como cliente de um condomínio solar, você pode comprar créditos de energia desse parque, sem precisar investir na construção deles e nem na instalação de painéis em seu imóvel. O retorno financeiro de quem aluga créditos de um condomínio solar costuma ser bem rápido: em torno de três anos, bem menor em relação a quem investe na instalação de um sistema para usar no imóvel, cujo retorno pode levar em torno de sete anos.

Como funcionam os condomínios solares?

Na prática, o consórcio ou cooperativa adquire um terreno para que os painéis solares sejam instalados de acordo com a capacidade de potência instalada (em quilowatt-pico, ou kWp), ou com a quantidade de energia produzida (em quilowatt-hora, ou kWh).

Toda energia solar que é gerada nesses condomínios solares se transformam em créditos aos investidores ou aos seus clientes (os inquilinos), de acordo com o investimento de cada um – créditos esses que são descontados na conta mensal de energia. Saiba mais sobre como funciona o sistema de compensação de energia.

O sistema fotovoltaico do condomínio solar é conectado à rede elétrica por meio de um relógio de luz central, e toda a energia gerada é injetada na rede. Cabe, então, ao responsável pelo condomínio definir previamente como será a distribuição desses créditos entre os integrantes, de acordo com as cotas investidas por cada um.

Quais as vantagens de investir em condomínios solares?

  • ROI mais rápido: como o investimento em condomínios solares é compartilhado com outras pessoas, o retorno financeiro é bem mais rápido em comparação com o investimento em um sistema solar instalado no próprio imóvel.
  • Possibilita utilizar energia solar mesmo sem ter telhado: pessoas que moram em apartamentos ou casas com telhados que não possibilitam a instalação de painéis solares podem alugar créditos de energia em condomínios solares.
  • Custo baixo de implantação: para os investidores interessados em construir condomínios solares, os custos de implantação valem a pena por eles serem compartilhados com outras pessoas interessadas.

E então, o que achou? Se você se interessou pelo assunto, agora está na hora de entender melhor como funciona esse sistema de geração compartilhada de energia solar.

Comentários