Blog da Dusol

20
dez

Descubra como acompanhar a transformação de seus clientes!

Estamos mudando a nossa forma de comprar os produtos e os serviços: aquela época em que só o preço importava acabou. Agora, o perfil de clientes mudou, e o consumidor responsável está cada vez mais exigente e consciente. Dependendo do produto, ele investiga exaustivamente a empresa até tomar a decisão de compra.

O consumidor responsável está deixando de ser influenciado para se tornar influenciador, e pesquisas de mercado indicam que essa responsabilidade que ele sente ao comprar algo já alcança os patamares da sustentabilidade.

Isso significa que as empresas precisam acompanhar essa transformação e, mais que isso, elas também devem fazer parte dessa mudança, tornando-se cada vez mais responsáveis financeiramente, socialmente e ecologicamente.

 

A consciência ambiental está mudando

(Fonte: ICC 2016)

É o que apontam várias pesquisas de mercado, como a divulgada em julho de 2016, pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).

Indicador de Consumo Consciente (ICC) entrevistou 600 consumidores de todas as classes sociais e capitais brasileiras, além do Distrito Federal. O objetivo foi mostrar as tendências de conscientização destes consumidores nas áreas ambiental, financeira e social.

Os resultados apontam que o ICC subiu de 69,3% em 2015 para 72,7% em 2016. Isso significa que os consumidores brasileiros estão, cada vez mais, adotando melhores hábitos:

 

Apesar de ser um aumento, ainda assim há muito que se caminhar, pois, de acordo com o ICC, para ser considerado um país onde o consumidor responsável representa o perfil de clientes, o percentual precisa ultrapassar os 80%:

(Fonte: ICC 2016)

As empresas também têm enxergado essa transformação nos hábitos de consumo. A pesquisa “Sustentabilidade nas Empresas Brasileiras”, feita pelo Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (Cebds), ouviu 100 executivos seniores das principais empresas do país em 2014 e mostrou que:

  • 66% dos executivos estão satisfeitos com os resultados obtidos, provenientes dos gastos e investimentos em sustentabilidade;
  • 99% dos executivos entrevistados consideram a sustentabilidade importante para o seu negócio;
  • 100% das empresas possuem práticas e recursos dedicados ao tema sustentabilidade.

Diante deste cenário, o que as empresas devem fazer para atrair o consumidor responsável?

A resposta é simples: sendo uma empresa comprometida com o meio ambiente e com o desenvolvimento social.

É preciso pensar na adoção dessa cultura sustentável em dois níveis: dentro da própria empresa e fora dela. Na prática, isso significa ações, como:

  • Economizar gastos e evitar desperdícios implantando soluções ambientalmente corretas, como a adoção de fontes alternativas de captação de energia, por exemplo;
  • Desenvolver ações ambientais e sociais fora da empresa, envolvendo a participação da comunidade e permitindo que a sua marca deixe um legado;
  • Criar uma política de valorização dos funcionários da empresa, seguindo princípios éticos, respeitando a individualidade e a liberdade da troca de ideias por meio de feedbacks corretos e construtivos;
  • Inovar e criar soluções sustentáveis de produtos e serviços que gerem mais economia na produção. Isso significa prezar uma entrega de qualidade, que dure e traga, como consequência, um maior custo-benefício ao consumidor.

Com essas medidas, o valor de mercado da sua empresa aumentará consideravelmente, assim como o índice de felicidade no ambiente de trabalho e a atração do consumidor responsável, satisfeito com os produtos e serviços que você oferece.

Como vimos, diante de tantos números e pesquisas de mercado, a sustentabilidade, de fato, já está presente na vida do consumidor responsável. Se a sua empresa ainda não se organizou para promover essa prática que traz excelentes resultados ao negócio, comece agora mesmo a planejá-la.

Para receber mais conteúdos como esse diretamente em seu e-mail, assine a nossa newsletter e até a próxima. 

Comentários