Blog da Dusol

20
dez

A energia solar em carros promete ser uma das grandes revoluções tecnológicas dos últimos tempos. Afinal de contas, ela abala diretamente as estruturas do uso de combustíveis fósseis, que, como sabemos, são recursos não-renováveis e poluentes, como é o caso do petróleo, do carvão mineral e do gás natural.

Bom, o fato é que, na contramão desses combustíveis fósseis, está se expandindo uma nova forma de locomoção: os veículos elétricos – que utilizam a eletricidade convencional para funcionarem. Mas a tecnologia já está avançando e a energia solar, aos poucos, sendo incluída nos projetos dos carros dos próximos anos.

A seguir, vamos falar sobre como a energia solar em carros tem sido aplicada – aliás, ela poderá até ser utilizada na produção de outros combustíveis. Acompanhe.

O crescimento dos carros elétricos pelo mundo

Bom, antes de falarmos sobre a energia solar em carros, vamos entender como funciona a energia elétrica neles. Aliás, saiba que a frota de carros elétricos cresceu 55% entre 2017 e 2018: agora já são 3,2 milhões deles mundo afora, principalmente na China.

O carro elétrico funciona, como o próprio nome diz, por eletricidade. Alguns deles podem utilizar baterias como fontes de energia – no caso, basta recarregá-los na eletricidade – ou podem ser movidos a hidrogênio, que também são elétricos, mas funcionam a partir de uma tecnologia que utiliza hidrogênio e oxigênio para gerar eletricidade (a recarga chega a ser feita em apenas 10 minutos em comparação a um elétrico tradicional, que pode demorar de 3 a 14 horas).

Em todos os casos, esses veículos possuem características em comum: são potentes, silenciosos e não-poluentes, e isso ajuda a reduzir os níveis de poluição sonora das cidades, sem falar na redução da poluição ambiental.

E quanto ao Brasil?

De acordo com a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), a venda de carros elétricos ou híbridos por aqui ainda é pequena, pois representa apenas 0,05% do total de veículos vendidos. A previsão é de que, em 2020, esse índice salte para 0,4% e chegue a 2,25% em 2026 (o que representaria 100 mil veículos elétricos pelas ruas).

Mas será que já existe um carro elétrico movido a energia solar?

Felizmente, já começam a aparecer no mercado os primeiros projetos de carro elétrico movido a energia solar.

Em outubro de 2018, por exemplo, a sul-coreana Hyundai anunciou que, em parceria com a também sul-coreana Kia, instalará painéis fotovoltaicos nos veículos produzidos pelas duas empresas.

As primeiras versões com os painéis estão previstas para chegar ao mercado a partir de 2019, sendo que eles serão instalados no capô ou no teto, seja nos carros movidos a gasolina, os híbridos ou os modelos exclusivamente elétricos. Nesse caso, a energia solar em carros será utilizada para complementar o consumo do combustível, garantindo a eficiência energética.

Mas será que já existe um carro 100% movido a energia solar?

Sim, existem vários projetos de montadoras mundo afora utilizando energia solar em carros, mas um deles já está em processo de fabricação! Dá uma olhada abaixo:


Trata-se do Lightyear One, projeto da startup holandesa Lightyear e que deve começar a circular em 2019 na Europa.

O modelo é do tipo sedã e tem, ainda, tração nas quatro rodas. Segundo as informações da startup, o carro pode rodar por meses antes de precisar de uma recarga, sem depender de combustíveis fósseis ou da energia elétrica gerada por eles. Além disso, em dias nublados ou no período noturno, os veículos podem percorrer entre 400 a 800 quilômetros, quando estão totalmente carregados – eles podem ser carregados em uma tomada comum.

O modelo é tão promissor que a startup conquistou o prêmio CES Climate Change Innovator Award, que premia startups que contribuem para a redução de emissões de gases que causem o efeito estufa.

Mas a pergunta que não quer calar: e quanto ao preço? Bom, infelizmente ele é salgado. As encomendas começaram em 2017 a um preço de 119 mil euros – o equivalente a R$ 516 mil (com o euro cotado a R$ 4,34). Aliás, é caro, inclusive, para quem recebe em euros, não é mesmo? Mesmo assim, até o final de 2017, 15 unidades já haviam sido encomendadas e estima-se que, em 2019, elas comecem a ser entregues.

O importante é saber que já existem iniciativas e projetos de energia solar em carros, e que, no futuro eles poderão ser acessíveis ao consumidor comum, desafogando o planeta de várias emissões de gases nocivos.

E por falar em projeto, olha outra novidade:

A energia solar também poderá ser usada na criação de combustível de hidrogênio

Um estudo publicado na revista científica Nature, em 2018, por uma equipe de pesquisadores israelenses, afirma ter dado um importante passo na criação de carros movidos a hidrogênio – nesse caso, a energia solar seria utilizada para a fabricação desse combustível, tornando o processo mais limpo e, ainda, permitindo a produção em larga escala.

Isso porque, mesmo sendo uma fonte limpa de energia, produzir o hidrogênio para ser utilizado como combustível é caro, e o processo de fabricação pode lançar gases que contribuem para o efeito estufa – portanto, não sendo uma energia totalmente limpa. Por isso, há anos os cientistas procuram um método que ajude a neutralizar o carbono para produzir o gás de hidrogênio em massa, e a energia solar pode ser a chave para esse objetivo.

Se comprovada a eficiência da energia solar nesse processo de fabricação do hidrogênio em escala industrial, seria encontrado o elo perdido em um processo químico que envolve energia solar que permite a conversão da água em hidrogênio – sem falar que os veículos poderiam sofrer uma redução significativa nos preços de venda.

Bom, como vimos, a energia solar em carros promete revolucionar a forma como nos locomoveremos nos próximos anos, não é mesmo? Então, conte nos comentários: o que você acha que mudaria no mundo com veículos 100% movidos a energia do Sol? Quais os desafios que temos pela frente?

Aproveite que esse é um assunto global e conheça a Agenda 2030 da ONU, que tem tudo a ver com o futuro da sustentabilidade no planeta. Até a próxima!

Comentários