Blog da Dusol

27
fev

Se você está à frente de uma construtora, saiba que um dos grandes diferenciais que podem agregar muito valor ao seu negócio é investir em energia solar em prédio. Afinal de contas, o setor da energia solar está crescendo no país.

Uma projeção da Associação Brasileira de Energia Solar (ABSOLAR) aponta que, até 2030, chegaremos ao patamar de 30 GW (gigawatts) de potência instalada, representando mais de R$ 100 bilhões em investimentos, e geração de cerca de 1 milhão de empregos.

Bom, para não ficar de fora desse crescimento e aproveitar que a energia solar em prédio pode realmente trazer grandes benefícios ao seu negócio, entenda, a seguir, como realizar esse investimento.

As vantagens da energia solar em prédio

Bom, a vantagem mais perceptível que a energia solar pode trazer aos seus empreendimentos imobiliários é, sem dúvidas, a valorização. E isso tem várias explicações.

Em primeiro lugar, temos a valorização propriamente financeira. Um estudo de 2015, do renomado Laboratório Berkeley, administrado pela Universidade da Califórnia, nos EUA, constatou que casas americanas que tinham energia solar eram valorizadas de 3% a 6% a mais na hora da venda – um aumento médio de US$ 15 mil.

E não pense que aqui no Brasil seria diferente, pois, além do aumento do faturamento da construtora, aqui vai uma segunda vantagem: a valorização que remete à atual fase de transformação da sociedade.

Felizmente, estamos vivendo uma intensa mudança na forma como encaramos o nosso estilo de vida. Cada vez mais as pessoas buscam viver em lugares que as permite reunir conforto, segurança, economia e sustentabilidade – ou seja, elas querem viver em espaços mais reduzidos, acumulando menos objetos, vivendo uma economia compartilhada, e, ao mesmo tempo, tendo ações que minimizem seus impactos ambientais no mundo.

Não é de hoje que o mercado imobiliário está atento a essa mudança. Já temos à disposição lançamentos de apartamentos compactos e que reúnem várias ferramentas para que os moradores tenham esse estilo de vida. E a energia solar em prédio vai de encontro a essa necessidade.

Na prática, oferecer aos seus clientes a energia solar vai proporcionar um ROI que pode, até mesmo, vir a curto e médio prazo, dependendo da capacidade instalada. E para o consumidor consciente, que adquire uma moradia com esse benefício, mesmo que pague um pouco a mais para comprar o imóvel, ele sabe que pode vir a ter uma ótima economia financeira assim que o investimento for pago.

Mas, como é possível ter energia solar em prédio?

A instalação da energia solar em prédio: a geração compartilhada

A geração compartilhada é a modalidade que permite investir em energia solar em seus empreendimentos imobiliários.

Já falamos sobre essa modalidade aqui no blog, mas vamos relembrar: a geração compartilhada foi criada em 2015, por meio da Resolução Normativa nº 687 da ANEEL. Nela, dois ou mais consumidores (pessoas físicas ou jurídicas) passam a compartilhar energia solar de um único sistema instalado – desde que todos estejam na mesma área de concessão da distribuidora.

Na prática, quando falamos em prédio, a modalidade de geração compartilhada que mais se encaixa é o chamado Condomínio Solar, que, de acordo com a resolução da ANEEL, é conhecido como “empreendimento de múltiplas unidades consumidoras”, sejam esses condomínios horizontais ou verticais.

Nesse caso, todos os condôminos passam a dividir os custos do sistema solar, de acordo com regras e percentuais estabelecidos entre eles. A compensação da energia solar é feita de forma independente, pois cada apartamento constitui uma unidade consumidora e utiliza sua energia de forma única – como explicamos neste post aqui. Nas áreas comuns, que também constituem uma unidade consumidora, a energia utilizada é rateada entre os moradores junto com as demais despesas do condomínio.

Ok. Mas onde eu posso instalar a energia solar em prédio?, você pode se perguntar. Existem algumas opções:

  • nos próprios telhados de cada prédio – aliás, são os locais mais indicados, pois recebem mais radiação solar;
  • nas áreas comuns do edifício, desde que não haja sombreamento;
  • nas fachadas dos prédios, mesmo não sendo muito comum no país;
  • em condomínios solares fora do prédio – ou seja, a construtora pode alugar ou comprar um terreno para a instalação de uma pequena usina de energia solar, que será utilizada nos empreendimentos, desde que estejam localizados na mesma área da distribuidora de energia da região.

E, então, por onde começar?

  1. Entre em contato com uma empresa de energia solar para que ela faça um estudo de viabilidade em seu prédio.
  2. Aqui na Dusol, por exemplo, fazemos o planejamento, o orçamento e também orientamos sobre as melhores opções de financiamento disponíveis para o seu caso.
  3. Após a aprovação junto à distribuidora de energia da região, bem como a liberação do financiamento, já é possível iniciar o processo de instalação do sistema fotovoltaico.

É importante que o sistema solar em prédio permaneça ligado à distribuidora de energia convencional por dois motivos: para você não precisar investir em baterias (o que encareceria consideravelmente o projeto), e para que o condomínio utilize a eletricidade convencional quando houver baixa incidência de energia solar (como de noite, por exemplo). Mas não se preocupe; a economia nas contas de energia dos moradores e do próprio condomínio será perceptível. E quando houver a produção de energia solar extra, ela pode ser utilizada como créditos na distribuidora – barateando ainda mais a conta.

E então, o que achou? Caso queira tirar outras dúvidas sobre energia solar em prédio, fale com a equipe da Dusol, que está pronta para lhe dar todo o suporte para a instalação Até a próxima!

 

Comentários