Energia solar no agronegócio: preciso investir em baterias?

Se engana quem pensa que a energia solar no agronegócio necessita de grandes investimentos. Mas será que as baterias podem ser excluídas desse sistema?

Muitos produtores deixam de investir em energia solar no agronegócio por acharem que é preciso ter um sistema com baterias para o armazenamento da energia produzida – o que encarece os custos e pode, até mesmo, inviabilizar o projeto para pequenos e médios produtores.

Mas, acredite: você não precisa comprar uma bateria para essa finalidade – exceto em dois casos, como veremos ao longo do nosso post de hoje. Acompanhe.

A finalidade das baterias de energia solar

A realidade é essa: infelizmente, o preço das baterias para serem ligadas ao sistema fotovoltaico ainda é alto – mas a boa notícia é que, sem elas, o seu sistema continua funcionando normalmente (aliás, os custos de instalação caíram pela metade nos últimos dois anos).

A bateria, portanto, não faz parte do kit oficial do sistema fotovoltaico, e o seu investimento é justificado apenas em duas ocasiões:

  1. Se a sua produção rural não estiver ligada a nenhuma rede de energia elétrica convencional;
  2. Se você for o proprietário de uma usina solar, como a que foi inaugurada recentemente em Uberlândia (MG), com capacidade para armazenar até 1 Megawatt-hora de energia.

Sim, essa é a finalidade de uma bateria para energia solar no agronegócio: armazenar a energia gerada em excesso para ser consumida mais adiante.

O sistema convencional de energia solar é interligado à distribuidora de energia da sua região.

Mas não pense que, por isso, a sua conta continuará alta, não – dependendo da capacidade instalada, você pode economizar até 95% em sua conta mensal (você não zera a conta porque permanece pagando a taxa mínima de energia, como já explicamos neste post).

Em poucas palavras, a distribuidora de energia da sua região será a sua bateria. Isso porque o que você produzir em excesso poderá ser consumido em até 60 meses, o que trará ainda mais economia em épocas de pouca incidência solar. Essa é a chamada geração distribuída, e você pode entender melhor neste post.

As vantagens da energia solar no agronegócio

  • A energia solar favorece a irrigação, pois a água passa a ser captada por um equipamento de bombeamento solar, o que não reduz em nada a potência do equipamento e ainda te faz economizar.
  • A energia solar no agronegócio reduz a conta tanto na área interna quanto externa da propriedade – você pode, até mesmo, instalar postes de iluminação solar e cercas elétricas.
  • A energia solar no agronegócio contribui para a dessalinização, pois o dessalinizador pode ser alimentado pelas placas solares, aumentando a economia com a manutenção do processo – e favorecendo a sustentabilidade, pois o efluente pode ser utilizado para outras finalidades, como a produção de pescado, por exemplo.
  • A energia solar no agronegócio favorece o cultivo de frutas e hortaliças, pois se as placas forem instaladas a pelo menos 2 metros de altura do chão, contribuem para o desenvolvimento dos alimentos no solo.

Neste post você confere em detalhes todas essas e outras vantagens da energia solar no agronegócio.

Bom, a sua produção rural é ligada à distribuidora de eletricidade da região? Então, realmente, você não precisa comprar baterias e aproveitar essa economia para investir em mais projetos para o crescimento do seu negócio, que tal?

Dúvida esclarecida, agora é hora de entrar em contato conosco para você saber o que a energia solar pode fazer especificamente pelo seu agronegócio. Até a próxima!

Carlos Bouhid
Diretor Administrativo da Dusol Engenharia Sustentável.

Compartilhe:

Posts Relacionados

Voltar ao topo