Energia solar: qual é o melhor inversor solar do mercado?

Antes de investir em seu sistema de energia solar, confira o ranking dos principais fornecedores que se destacam no Brasil e no mundo

Se você deseja investir em energia solar para o seu imóvel (seja ele residencial, comercial ou rural), saiba que é muito importante conhecer os principais fornecedores da atualidade para fazer um investimento seguro.

Nesse caso, confira dois rankings (um internacional e outro nacional) devidamente atualizados sobre os fornecedores dos principais componentes do kit de energia solar, e faça a melhor escolha!

Ranking dos 6 principais inversores solares no mundo (2019)

Já explicamos neste post sobre os inversores de energia solar, mas vamos relembrar rapidamente.

O inversor solar é uma importantíssima parte que compõe o kit de energia solar. A sua principal função é converter a energia elétrica (que é gerada pelos painéis solares), em corrente contínua para alternada – que é o tipo de corrente própria para alimentar a maioria dos equipamentos eletroeletrônicos que temos.

O inversor solar também garante a segurança do sistema fotovoltaico por possuir dispositivos internos de proteção, sendo também responsável pelo armazenamento de dados de geração – aliás, em alguns modelos de inversor, é possível acompanhar a produção de energia em tempo real, via wi-fi.

Bom, mas vamos ao ranking 2019 com os seis principais inversores do mundo utilizados em sistemas fotovoltaicos domésticos (de 1kW a 10kW), de acordo com a Solar Review – que todos os anos atualiza a lista com base em critérios como design, características, desempenho, garantia, opções, segurança e compatibilidade futura.

6º lugar: inversor solar da marca ABB

(Foto: Reprodução / Solar Review)

Prós: garantia renovada, software e integrações domésticas inteligentes.

5º lugar: inversor solar da marca Fronius

(Foto: Reprodução / Solar Review)

Prós: confiabilidade, diversas opções.

4º lugar: inversor solar da marca Huawei

(Foto: Reprodução / Solar Review)

Prós: otimizadores híbridos e opcionais.

3º lugar: inversor solar da marca SolarEdge

(Foto: Reprodução / Solar Review)

Prós: segurança, software, gerenciamento de ativos, desempenho, garantia.

2º lugar: inversor solar da marca SMA

(Foto: Reprodução / Solar Review)

Prós: melhor comunicação, integrações fora da rede, rede de revendedores registrados.

1º lugar: inversor solar da marca Enphase

(Foto: Reprodução / Solar Review)

Prós: opções de ilha, modular, seguro.

As 5 principais marcas de energia solar no Brasil

O mercado de energia solar no Brasil continua crescendo – a expectativa é que, em 2019, ele cresça 44% na capacidade de energia fotovoltaica instalada, levando o país à marca dos 3,3 GW (gigawatts). Esses dados são da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar).

Quanto às marcas fornecedoras dos equipamentos, em 2018, a participação dessas empresas foi bem distribuída, sendo que 5 delas se destacaram no mercado, como mostram dados de um estudo da Greener, empresa referência em pesquisas sobre energia solar:

5º lugar: marca PHB

Percentual de participação no mercado de energia solar no Brasil: 6,2%

Capacidade instalada: 69,4 MW (megawatts)

País sede da fornecedora: Brasil

4º lugar: marca WEG

Percentual de participação no mercado de energia solar no Brasil: 8,6%

Capacidade instalada: 96,7 MW

País sede da fornecedora: Brasil

3º lugar: marca ABB

Percentual de participação no mercado de energia solar no Brasil: 11,4%

Capacidade instalada: 128,1 MW

País sede da fornecedora: Suíça

2º lugar: marca Sungrow

Percentual de participação no mercado de energia solar no Brasil: 15,1%

Capacidade instalada: 170,0 MW

País sede da fornecedora: China

1º lugar: marca Fronius

Percentual de participação no mercado de energia solar no Brasil: 31,7%

Capacidade instalada: 356,9 MW

País sede da fornecedora: Áustria

Bom, agora que já sabemos quais fornecedores se destacam pela qualidade de seus produtos e que estão em alta por aqui, é hora de prestar atenção em outro quesito: escolher a empresa de energia solar – afinal, o barato pode custar caro. Até a próxima!

Carlos Bouhid
Diretor Administrativo da Dusol Engenharia Sustentável.

Compartilhe:

Posts Relacionados

Voltar ao topo