Blog da Dusol

28
ago

Nós já contamos aqui no blog da Dusol sobre o surgimento e a evolução dos painéis solares, cujos estudos se originaram ainda no século 19.

De fato, o Sol é fundamental para a existência da vida na Terra, e, com o uso da tecnologia, também compõe uma participação importante na geração de energia por meio de uma fonte renovável.

Mas, já que os painéis solares surgiram há tanto tempo, por que será que os custos dessa tecnologia vêm caindo somente nos últimos dez anos, o que fez com que a energia solar fotovoltaica realmente decolasse?

A resposta principal é esta: os custos vêm diminuindo por conta do aumento da eficiência dos painéis solares. Acompanhe a seguir.

A eficiência dos painéis solares ao longo do tempo

Nem mais, bem menos: 1%. Essa era a eficiência da primeira célula solar (feita de selênio, e não de silício, como atualmente) construída em 1883, pelo norte-americano Charles Fritts. Nessa época, ainda nem se cogitava que o sistema fotovoltaico se popularizaria.

Aliás, foi apenas em 1954 que os painéis solares começaram a ter maior utilidade, já sendo feitos de silício e com cerca de 6% de eficiência, ocasionando o início da era moderna da energia solar.

A partir daí, a tecnologia começou a evoluir a um ritmo acelerado, e, hoje, podemos encontrar painéis solares com mais de 20% de eficiência – painéis de alta eficiência podem produzir 25% mais eletricidade do que a maior parte dos vendidos nos últimos anos.

O fato é que, com a melhoria da eficiência e dos métodos de produção, o custo dos painéis solares vem diminuindo nos últimos 10 anos. Nos Estados Unidos, por exemplo, o preço caiu 65%.

Todas essas mudanças podem ser explicadas pela chamada Lei de Swanson, cujo nome é uma homenagem a Richard Swanson, fundador do fabricante de painéis solares de alta eficiência SunPower. De acordo com a lei, o preço dos módulos solares fotovoltaicos diminui em cerca de 20% para cada duplicação da capacidade solar global. À medida que as indústrias melhoram seus processos produtivos, os preços também caem.

Aliás, já existem pesquisas e testes de laboratório utilizando modernas estruturas de células solares, que possibilitam atingir 46% de eficiência – mas isso promete ser uma conquista futura para nós, já que os processos produtivos precisam chegar a um ponto de equilíbrio para os preços caírem.

E aqui no Brasil?

Felizmente, o que é realidade lá fora também vem sendo aqui no Brasil. Entre 2008 e 2018, o custo dos painéis solares vem diminuindo, proporcionando que mais pessoas consigam investir nessa tecnologia.

Isso porque o custo das placas é negociado em dólares por Watt (mesmo que o painel seja de fabricação brasileira, a célula solar continua sendo importada, o que representa 60% do valor). Em 2018, por exemplo, painéis de 330 Watts de potência custavam cerca de R$ 849 nas vendas a varejo, configurando R$ 2,57 por Watt – é a metade do preço das placas em 2008, e 100 vezes mais barato do que os painéis solares vendidos em 1977.

Mas, aqui, é importante ressaltar que o preço final do painel solar dependerá tanto da sua eficiência quanto tipo e marca. Quanto maior for a eficiência, melhor será o painel solar, e, consequentemente, mais precisará ser investido.

Se você se interessou pelo assunto e quer saber qual é o preço dos painéis solares para uso residencial, comercial ou rural, então entre em contato com a Dusol por aqui.

Aproveite e confira porque o barato pode custar caro em relação à escolha da empresa que instalará a energia solar em seu imóvel. Até a próxima.

Comentários