Blog da Dusol

16
out

O setor de energia solar no Brasil vem crescendo ainda mais no país, por isso, vamos atualizar nossos números. A seguir apresentamos alguns dados divulgados pela Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar) durante a 5ª edição da Intersolar South America, a maior feira sobre energia solar da América do Sul.

Já adiantamos: os investimos em energia solar no Brasil já ultrapassaram os R$ 15 bilhões em projetos de geração distribuída e geração centralizada, mostrando a força do mercado solar.

O salto da energia solar no Brasil nos últimos anos

De acordo com os dados da Absolar, desde 2016, o Brasil vem dando um salto no mercado fotovoltaico. Naquele ano, a energia solar representava cerca de 0,1% da matriz energética brasileira, gerando entre 80 e 90 GW (gigawatts).

De lá para cá, muita coisa mudou. Em 2019, a energia solar no Brasil já conquistou o marco de 3 GW em operação – desse total:

  • 2 GW são provenientes da geração centralizada, na qual se encaixam os grandes parques solares, que obtêm essa energia por meio de leilões;
  • 1,08 GW fica por conta da geração distribuída, como já explicamos neste post.

Sobre a quantidade de investimentos em energia solar no Brasil, como vimos, foram mais de R$ 15 bilhões, principalmente nos últimos dois anos. Desse total:

  • R$ 10 bilhões foram investidos na geração centralizada, com suas usinas de grande porte que já estão em operação num total de 2.103 MW (megawatts) de potência.
  • R$ 5,6 bilhões foram investidos na geração distribuída, que, até o momento, acumula 101.894 sistemas de energia solar instalados, além de 128.116 unidades consumidoras e 1.089 MW em operação.

Para a Absolar, esse salto de crescimento da energia solar no Brasil se deu com o início das operações das usinas solares entre 2016 e 2017, o que, consequentemente, provocou a vinda dos grandes fabricantes para o mercado nacional, aumentando a oferta de painéis solares, inversores, rastreadores e outros materiais elétricos.

Expectativas para os próximos anos

De acordo com relatório recente da Bloomberg, em 2050, estima-se que a energia solar represente 38% da matriz elétrica do país, superando a hídrica (que alcançará o patamar de 34%), a eólica (que será de 14%), além da biomassa (8%). Vale ressaltar que, atualmente, a energia solar no Brasil ocupa 0,5% na matriz, conforme dados do relatório Síntese do Balanço Energético Nacional:

Fonte: Relatório Síntese do Balanço Energético Nacional – BEN 2019, tendo como ano base 2018).

 

Além disso, segundo dados de 2018 da Bloomberg, em 2040 o país deve dobrar a capacidade de potência instalada de suas energias renováveis para 316 GW – uma média de cerca de 6 GW de capacidade. Dá uma olhada no gráfico com a projeção:

 

Fonte: Bloomberg New Energy Finance.

 

Em relação à energia solar, ainda segundo o relatório da Bloomberg, a expectativa é que ela alcance o patamar de 117 GW de potência até 2040 – número impulsionado principalmente por projetos fotovoltaicos de pequena escala.


Viu só como estamos avançando com a energia solar no Brasil?
Entenda como ocorreu a queda dos custos e o aumento da eficiência dos painéis solares nos últimos anos, e até a próxima!

Comentários