Blog da Dusol

28
dez

Entenda porque pagamos tão caro na conta de luz!

energia elétrica é fundamental para o progresso da humanidade, mas nós, brasileiros, pagamos bem caro para tê-la em nossas casas e empresas. Só para você ter uma ideia, de acordo com umestudo publicado pela Firjan em julho de 2016, nos últimos três anos o custo da eletricidade aumentou 59,3% para pequenas e médias empresas brasileiras.

Sob um ponto de vista, fica difícil compreender como um país tropical como o nosso, com sol abundante o ano inteiro, pode cobrar tão caro pela energia em nossas tomadas.

No post de hoje, você vai entender como funciona o sistema de cobrança de tarifa de energia no Brasil e o porquê você precisa tomar medidas alternativas o quanto antes para conseguir economizar e prover um futuro mais sustentável para a sua família e para o seu negócio.

 

Entenda como funciona a cobrança da tarifa de energia

Para você começar a entender o que se paga todos os meses na conta de energia, saiba que no valor estão inclusos os seguintes itens:

  • Compra da energia (custos do gerador);
  • Transmissão (custos da transmissora);
  • Distribuição (serviços prestados pela distribuidora);
  • Encargos setoriais instituídos por leis;
  • Tributos instituídos por leis (como PIS/COFINS, ICMS e Contribuição para Iluminação Pública).

(Fonte: ANEEL)

De acordo com a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), os custos de energia elétrica representam a maior parcela do valor da conta (53,5%), seguido dos tributos (29,5%) e os valores de distribuição (17%):

Como já se sabe, em 2015 foi criado o chamado sistema de bandeiras tarifárias para recompor os gastos extras com o uso das usinas termelétricas (que são mais caras), já que a longa estiagem e a consequente falta d’água impossibilitou a plena utilização de algumas hidrelétricas.

Classificadas pelas cores verde, amarela e vermelha, as bandeiras tarifárias indicam, mensalmente, se a energia está custando mais ou menos por conta do custo extra das distribuidoras.

Quando a bandeira é verde, a conta não sofre aumento; a amarela indica que os custos da produção da energia estão aumentando, enquanto a bandeira vermelha revela que os custos estão elevados. Estas duas últimas bandeiras significam, portanto, um aumento na conta a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos ‒ além de todos os outros encargos já emitidos.

 

Mas chegará o dia em que a conta de energia vai parar de crescer?

Diante de todos estes encargos, tributos e bandeiras tarifárias, é muito pouco provável que a conta de energia deixe de sofrer constantes reajustes, principalmente por conta da recessão econômica pela qual o país está passando. Segundo relatório do Banco Central, estima-se que, em 2017, a energia elétrica sofra um aumento de 7,7%. No Amapá, a conta ficará 50% mais cara por conta do reajuste anual, segundo o portal de notícias G1.

Além desses fatores econômicos, existe ainda uma razão para que a a conta de energia elétrica seja uma das mais caras do mundo, e que assim permaneça se um fator não for mudado: o tipo de geração.

O esgotamento do potencial hidrelétrico já é uma realidade, pois além do constante desperdício de água que o país enfrenta, também vivemos sob condições climáticas adversas ‒ como a estiagem de 2015, que deixou São Paulo praticamente sem água e todo o Brasil apreensivo.

 

A solução está no céu e se chama energia solar

O nosso potencial brasileiro para a geração de energia solar é enorme. A Região Nordeste, por exemplo, apresenta um dos maiores índices de irradiação solar do mundo, conforme divulgado pelo Ministério das Minas e Energia (MME).

Portanto, é possível economizar ‒ e muito ‒ adotando o sistema fotovoltaico e de aquecimento solar em casas e empresas. O investimento no equipamento (placas fotovoltaicas e os demais acessórios) é rapidamente recuperado, pois em alguns casos a conta de energia elétrica pode diminuir em até 95%. Um alívio e tanto para o bolso das famílias, empresários e o próprio meio ambiente, não é mesmo?

Se você se interessou em conhecer mais sobre energia solar, que pode ser instalada em sua casa ou empresa, entenda a diferença entre o sistema fotovoltaico e o aquecimento solar e até a próxima. 

Comentários