Por que 2018 promete ser o ano da energia solar?

Separamos bons motivos para você acreditar que 2018 será um excelente ano para você investir em energia solar.

Existem muitos motivos que fazem com que 2018, definitivamente, se transforme no ano da energia solar.

Sejam por motivos de barateamento dos custos de instalação do sistema, os sinais de recuperação econômica brasileira e, ainda, as promessas do governo brasileiro em aumentar o incentivo a essa tecnologia, o fato é que empresas, produção rural e residências têm muito a ganhar com a energia solar.

A seguir, separamos 4 motivos que respondem à pergunta inicial do nosso post de hoje. Confira.

1. Porque o Brasil deve integrar os Top 20 em energia solar em 2018

O governo divulgou recentemente que o país deve integrar o ranking dos 20 maiores produtores de energia solar do mundo em 2018. Essa meta deve ser alcançada, sobretudo, devido à expansão da tecnologia no país, bem como a potência de 2,6 GW de geração centralizada, que já está contratada.

Atualmente, entre os países com maior potência de energia solar instalada estão Estados Unidos, China, Japão, Itália e Alemanha, que, juntos, correspondem a 68% do total mundial dessa fonte.

Aqui no Brasil, o número de instalações solares distribuídas apresenta um crescimento, aproximando-se de 4 mil unidades com potência média de 7,4 KW. De acordo com estudos do Plano Nacional de Energia (PNE 2050), estima-se que 18% dos domicílios contarão com energia solar fotovoltaica em 2050.

2. Porque o preço da energia elétrica produzida de forma convencional continuará aumentando

Já falamos diversas vezes, aqui no blog, sobre o que está por trás das tarifas de energia e porque elas continuarão a crescer.

Entre outros fatores, o nosso atual sistema de produção, a energia hidrelétrica, tem enfrentado sérios problemas por conta de inúmeras crises de seca que o país vem enfrentando, sem falar nos problemas socioambientais e no acionamento das termelétricas, o que encarece ainda mais a conta mensal.

Nesse sentido, 2018 promete ser o ano da energia elétrica porque, com o país entrando no TOP 20 de produção solar, a tendência é que, no futuro, os custos de produção fiquem mais baratos e essa redução seja, finalmente, sentida no bolso dos brasileiros.

3. Porque o Brasil tem o compromisso de reduzir as emissões de carbono

Esse compromisso foi firmado em 2015 pelo governo brasileiro durante o Acordo de Paris, e aprovado pelo Congresso Nacional no ano seguinte.

Junte a esse compromisso de redução de emissão de gases de efeito estufa o fato de o país cumprir sua meta de entrar no TOP 20 de energia solar no mundo, e, em 2018, teremos o cenário perfeito para que o sistema fotovoltaico se popularize ainda mais.

Voltando ao Acordo de Paris, as principais metas definidas pelo acordo brasileiro são as seguintes:

  • Reduzir as emissões de gases de efeito estufa em 37% abaixo dos níveis de 2005, em 2025.
  • Reduzir as emissões de gases de efeito estufa em 47% abaixo dos níveis de 2005, em 2030.
  • Reflorestar e restaurar 12 milhões de hectares de florestas.
  • Alcançar uma participação estimada de 45% de energias renováveis na composição da matriz energética em 2030, incluindo o aumento da participação da energia solar, eólica e da biomassa.
  • Revisão do acordo em 5 anos.

4. Porque a economia já apresenta sinais de melhora

Com os primeiros sinais de recuperação econômica dos últimos meses, tudo indica que 2018 promete ser o ano da energia solar. Isso porque, saindo da crise, os brasileiros conseguirão planejar melhores investimentos com taxas mais atrativas, como é o caso da energia solar.

Segundo recente divulgação da Agência Brasil, o avanço da energia fotovoltaica no país tem permitido a redução de preços para os consumidores. Para você ter uma ideia, nos últimos anos, essa tecnologia se tornou 80% mais barata – inclusive, em algumas regiões brasileiras, a instalação dos painéis solares já sai mais em conta do que comprar a energia da rede de distribuição.

Com todos esses argumentos, dá para entender o porquê 2018 será o ano da energia solar, não é mesmo?

Então, se você também ficou interessado em saber mais como a energia solar pode ser a chave para uma economia real em sua residência, empresa ou propriedade rural, entre em contato conosco para tirar todas as suas dúvidas! Até a próxima.

Carlos Bouhid
Diretor Administrativo da Dusol Engenharia Sustentável.

Compartilhe:

Posts Relacionados

Voltar ao topo