Por que as fontes renováveis são o futuro energético?

Até 2050, as fontes renováveis podem representar quase a metade da geração de energia no mundo.

Você já ouviu dizer que em breve as fontes renováveis serão as mais utilizadas para gerar energia no mundo? Basta uma rápida pesquisa no Google para encontrar diversas matérias e dados sobre essa afirmação.

Portanto, separe alguns minutinhos para entender de vez esse assunto e saber por que as energias renováveis são tão importantes para o futuro da humanidade.

O que são fontes renováveis?

Já até falamos sobre elas neste post aqui, mas vale relembrar: fontes renováveis de energia são as energias provenientes de fontes que se renovam naturalmente e de forma cíclica na natureza. Ou seja, mesmo que a atividade humana explore essa fonte, a natureza logo a repõe.

 

Além de serem provenientes do próprio meio ambiente, as fontes renováveis também são menos poluidoras que as demais fontes, pois quando elas são transformadas em energia, não existe a necessidade direta da liberação de gases poluentes e que contribuem para o aumento do efeito estufa.

Quais são os tipos de fontes renováveis de energia no mundo?

  • Energia solar: energia proveniente do Sol.
  • Energia eólica: energia proveniente do vento.
  • Biomassa: energia proveniente de material orgânico (como bagaço de cana-de-açúcar, óleos vegetais, madeira, palha de arroz, álcool, etc.).
  • Etanol: energia proveniente da fermentação de vegetais (aqui no Brasil se utiliza principalmente a fermentação da cana-de-açúcar).
  • Energia hídrica: energia proveniente da água.
  • Energia geotérmica: energia proveniente do calor interno da terra.
  • Energia maremotriz: energia proveniente da força de marés e ondas.

Por que as fontes renováveis são o futuro da energia elétrica?

Dados de um relatório divulgado pela Bloomberg NEF indicam que até 2050 as fontes renováveis responderão por quase a metade da energia elétrica no mundo – e um dos motivos é a contínua queda nos custos das energia solar, da energia eólica e do armazenamento de energia em baterias.

 

Segundo os especialistas da Bloomberg, esse aumento vem ao encontro a uma demanda futura: precisaremos de mais energia elétrica – o aumento da demanda por eletricidade será 62% maior do que nos tempos de hoje. Ainda de acordo com o relatório, a energia solar e eólica sozinhas representarão quase 50% da energia elétrica no mundo até 2050. Em contrapartida, a energia gerada pelo carvão (fonte poluente) cairá dos atuais 37% para apenas 12% até essa data.

 

E quanto ao Brasil? Por aqui, temos todas as condições climáticas favoráveis que o uso de fontes renováveis de energia – aliás, como já explicamos neste post aqui, dados de 2018 do Balanço Energético Nacional (BEN) apontam que o país já apresenta 45,3% de sua matriz energética proveniente de fontes renováveis.

 

Estimativas da BP Energy Outlook, uma companhia britânica de petróleo que periodicamente divulga dados sobre o consumo de energia no mundo, apontam que o Brasil deve ter 48% de sua energia proveniente de fontes renováveis até 2040.

 

Se os dados favorecem as fontes limpas, vamos citar mais alguns fatores que favorecem essas fontes como o futuro da produção energética:

 

  • Utilizar fontes renováveis diminuem as emissões de gases poluentes na atmosfera;
  • Evitam a escassez de recursos não renováveis no planeta (como é o caso do petróleo);
  • Aumentam a diversidade da oferta de energia no mundo;
  • Proporcionam sustentabilidade da geração de energia, já que as fontes são renováveis pela própria natureza;
  • Estimulam o desenvolvimento socioeconômico das pessoas e das cidades, criando novas oportunidades de trabalho, inclusive em regiões rurais.

Com todos esses pontos favoráveis, cabe aos países criarem redes inteligentes de geração de energia por meio de fontes renováveis, evitando que se recorra a fontes poluentes caso haja necessidade de suprir uma demanda maior. Além disso, os próprios cidadãos e empresas também conseguem investir em geração de energia limpa, estimulando ainda mais a economia.

Nesse caso, complemente este assunto conferindo como anda o crescimento da energia solar aqui no Brasil.

Carlos Bouhid
Diretor Administrativo da Dusol Engenharia Sustentável.

Compartilhe:

Posts Relacionados

Voltar ao topo