Blog da Dusol

15
dez

É bem provável que você já tenha ouvido falar sobre nascentes em propriedades rurais que nunca antes tinham secado, mas que, hoje, praticamente não existem mais. Ou, ainda, você é um morador de São Paulo e sentiu na pele a crise hídrica de 2014, cujos reservatórios, ainda hoje, lutam pela plena recuperação, ou mesmo de Brasília, e vem sofrendo com o racionamento.

A escassez de água é uma realidade, e atinge milhares e milhares de pessoas pelo mundo inteiro. Dados da ONU, de 2006, já estimavam que, até 2050, mais de 45% da população mundial não terá acesso à água potável, principalmente em países que já sofrem com a falta do recurso, como África, Ásia Central e o Oriente Médio, o transformando em um produto mais desejado que o petróleo.

Mas por que a escassez de água é um problema de cada um de nós? Simplesmente porque ela pode afetar o modo como vivemos atualmente, comprometendo seriamente a sobrevivência humana na Terra. E isso não é um exagero.

Vejamos, pelo menos, três motivos:

1. A nossa atual eletricidade depende dela

Aqui no Brasil, mais de 95% da energia elétrica é proveniente de usinas hidrelétricas que, apesar de ser uma fonte de energia renovável e não emitir poluentes, não está isenta de problemas ambientais e sociais.

E como é grande a nossa dependência pela água, imagine vivenciar outros grandes períodos de estiagem, como o que estamos passando desde 2014? Certamente, todo o país passaria por um grande racionamento, não apenas de água, mas também de energia elétrica – afetando muito o nosso atual modo de vida e de trabalho como um todo.

É por isso que, aqui, no blog, nós sempre falamos sobre a importância de nos voltarmos a outras formas de produção de energia elétrica, como a energia solar, que não depende da água, mas da irradiação do Sol para produzir eletricidade.

Não é à toa que cada vez mais pessoas estão instalando esse sistema em suas casas, empresas e em suas propriedades rurais – e por falar nelas, eis o segundo motivo que explica uma grande consequência da escassez de água.

2. A nossa alimentação pode ser seriamente afetada

Quando há escassez de água, a agricultura e a indústria são os setores que mais sofrem com a situação, o que pode ocasionar grandes impactos na economia como um todo e no abastecimento de alimentos.

Afinal, sempre que ocorrem momentos de crise hídrica, os primeiros comunicados do governo vão para a produção rural, que geralmente se vê proibida de realizar a irrigação durante um certo tempo. Com isso, a lavoura é afetada e o que pode ser colhido é vendido a preços mais altos, encarecendo, ainda, outros produtos e serviços essenciais para a nossa existência, o que acaba desestabilizando a economia.

3. Nós estamos acostumados a desperdiçar, e esse é um dos motivos da escassez de água

Sim, essa é uma realidade nua e crua: na contramão da falta de água, nós – sociedade civil e governo – continuamos desperdiçando esse recurso.

Só para você ter uma ideia, de acordo com um levantamento do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), de 2013, 37% da água tratada no país é desperdiçada, sejam em vazamentos nas tubulações ou em ligações clandestinas.

Ainda de acordo com o levantamento, entre as 100 maiores cidades brasileiras, 84 perdem mais de ¼ da água que produzem, cujos valores de desperdício somam mais de R$ 8 bilhões – sendo que em 2013, os investimentos em saneamentos feitos no Brasil somaram R$ 10 bilhões. Ou seja, uma conta que não fecha.

E quanto a nós? O desperdício de água está em atitudes simples que passam despercebidos por muita gente. Exemplos:

  • Lavar calçada e veículos com mangueira e deixando-a aberta durante vários minutos sem utilizá-la.
  • Lavagem de louças e escovação de dentes com torneiras abertas sem necessidade.
  • Banhos muito demorados.
  • Descargas sanitárias desreguladas e utilizadas de forma incorreta.
  • Falta de estrutura nas casas, comércios e propriedades rurais no sentido de construir um simples sistema de captação, armazenamento e reuso da água da chuva, que poderia ser utilizada para diversos fins.

Atitudes como essas, certamente, contribuem para a escassez de água em nossas cidades e, consequentemente, em nosso país. Cabe a nós evitarmos esse desperdício com medidas simples em casa, cobrando das autoridades soluções para frear essa situação e investindo na educação ambiental de crianças e adolescentes.

E quanto a você? Quais atitudes têm tomado para evitar o desperdício e a escassez de água em sua casa, empresa e produção rural? Deixe o seu comentário e até a próxima!

Comentários