Vantagens do sistema fotovoltaico on e off-grid para a produção rural

Saiba qual o melhor sistema para cada situação! Você já imaginou ficar sem eletricidade por uma semana? Essa situação pode parecer devastadora para muitos brasileiros, mas você sabia que, em pleno século XXI, uma pequena parcela do país ainda não é abastecida pela rede elétrica? A maior incidência está nas áreas de produção rural de difícil acesso, e, […]

Saiba qual o melhor sistema para cada situação!

Você já imaginou ficar sem eletricidade por uma semana? Essa situação pode parecer devastadora para muitos brasileiros, mas você sabia que, em pleno século XXI, uma pequena parcela do país ainda não é abastecida pela rede elétrica? A maior incidência está nas áreas de produção rural de difícil acesso, e, a maioria no norte do Brasil. Os dados são do último censo, realizado em 2010. 

A solução pode estar na energia fotovoltaica, já que a expansão da rede elétrica convencional pode representar um alto custo, que aumenta ainda mais de acordo com a distância da propriedade, enquanto que o investimento na solução sustentável é fixo, independente do local de instalação.

Ainda assim, no Brasil, as propriedades rurais representam menos de 2% dos sistemas solares já instalados no país.  Em contrapartida, a Alemanha, país líder em produção de energia fotovoltaica no mundo, prepara-se para uma revolução da energia no meio rural. Para isso a população rural vem se unindo em cooperativas para a compra e instalação de painéis fotovoltaicos em suas propriedades, através das chamadas “cooperativas de energia”.

Por aqui, as cooperativas de energia não são novidade. Mas diferente dos alemães- que somam mais de 700 cooperativas de energia renovável-, o Brasil possui apenas uma, fundada em 2016.

Os bons resultados na produção rual de diversos países também vêm chamando a atenção dos produtores no Brasil. Neste artigo, descubra como funcionam os sistemas fotovoltaicos no meio rural, quais suas vantagens e como financiar o seu projeto!

Sistema fotovoltaico em propriedades rurais

Existem dois tipos de sistemas fotovoltaicos: o on grid e o off grid. O primeiro é mais vantajoso em regiões onde há o abastecimento de eletricidade pela rede elétrica convencional. Já os sistemas off grid são ideais para regiões sem abastecimento da rede elétrica. Para ambas as situações, a energia fotovoltaica pode representar muitos ganhos em produtividade rural e economia, seja na conta de luz, seja no investimento.

Sistema On Grid

Este sistema é conectado à rede elétrica convencional, assim estabelece um troca-troca com o produtor de energia fotovoltaica: nos períodos de sol, a eletricidade excedente produzida pelos painéis abastece a rede e, nos períodos da noite e em dias nublados – em que não ocorre a produção pelas placas solares – a rede convencional fornece a energia utilizada. Isso faz com que a propriedade nunca deixe de ficar eletrificada. Mas e, o produtor, ganha pela eletricidade lançada por ele à rede? Sim! E é aqui que reside a grande vantagem deste sistema.

Desde 2012 o Sistema On Grid opera através da Geração Distribuída. Nela, a eletricidade excedente que abastece a rede é vendida pelo próprio produtor, que recebe em forma de crédito na conta de luz. O resultado é uma economia sensível. Algumas propriedades rurais passam a pagar apenas a taxa mínima da conta de luz, chegando a uma economia de 90%! Incrível, não é mesmo?

Sistema Off Grid

No entanto, propriedades rurais que não possuem abastecimento da rede convencional ou que possuem um abastecimento precário também podem se beneficiar da produção de energia solar fotovoltaica pelo Sistema Off Grid.

Este modelo é ideal para regiões remotas e distantes, porque opera de forma isolada e autônoma, ou seja, não depende de ligação com a rede elétrica. Nele toda a energia utilizada pela propriedade é produzida pelo próprio sistema instalado. Dessa forma, a produção rural não precisará pagar nem a taxa mínima à distribuidora, além de também não ficar sujeita a falhas na transmissão.

Mas você sabe o que acontece nos períodos da noite e nos dias nublados em que os painéis fotovoltaicos não produzem eletricidade? Para não deixar o consumidor na mão nesses momentos é que o sistema off grid conta com um banco de baterias que armazena a eletricidade gerada durante o dia.

Assim, além das peças comuns a todos os sistemas de energia solar (painéis solares, inversor, cabos, suportes etc) e as baterias (necessárias para o armazenamento de eletricidade), o sistema off grid também precisa de um controlador de carga que impede que cargas e descargas intensas prejudiquem a bateria, ou até o sistema como um todo.

Em relação ao On Grid, o sistema Off Grid é mais caro (por conta do banco de baterias). Mesmo assim, essa é uma alternativa viável em regiões de produção rural remotas, já que a expansão da rede convencional é cara, onerosa e, muitas vezes, fica a cargo do próprio consumidor, sem respaldo do governo ou da concessionária da região. Além disso, apostar em energia fotovoltaica pode trazer diversos benefícios para a produção no campo, além de ser uma opção mais eficiente e sustentável.

Aplicação da energia solar fotovoltaica em áreas de produção rural

Entre os maiores ganhos da energia solar fotovoltaica no campo estão o bombeamento de água de fontes superficiais e poços, a irrigação das lavouras, o resfriamento para o processamento de produtos alimentícios, o emprego de cercas elétricas para o manejo do gado e até o abastecimento da própria moradia.

Assim, mais do que a economia gerada, instalar um sistema fotovoltaico também pode aumentar a qualidade dos seus serviços, gerando renda extra, além de agregar valor à marca com o Selo Solar, uma certificação desenvolvida para reconhecer instituições que apostam em fonte renovável, limpa e de baixo impacto ambiental.

Como financiar o sistema fotovoltaico

Além dos financiamentos, com o objetivo de estimular que uma pessoa física adquira painéis fotovoltaicos, existe o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar, destinado a produtores familiares com limite de até R$ 165 mil, a serem pagos no prazo de 12 anos. Se levarmos em consideração que o sistema fotovoltaico tem uma vida útil de, no mínimo, 25 anos e baixo custo de manutenção, o retorno sobre o investimento é garantido.

Outro mecanismo de apoio para que produtores rurais adotem a energia fotovoltaica foi a decisão do Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES), que, desde outubro do ano passado, aumentou sua participação de 80% para 90% no financiamento da energia solar, como forma de estimular a produção.

Diversos estados também possuem formas de financiamento da energia fotovoltaica voltados para propriedades rurais, como, por exemplo, o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul através do BRDE Energia. Órgãos de extensão rural também costumam dar apoio na implementação de sistemas fotovoltaicos.

Opções não faltam para levar energia solar até as propriedades rurais de forma mais eficiente e sustentável!

Quer fazer um levantamento do valor de implementação para a sua propriedade? Entre em contato com a Dusol Engenharia e faça um orçamento!

Carlos Bouhid
Diretor Administrativo da Dusol Engenharia Sustentável.

Compartilhe:

Posts Relacionados

Voltar ao topo